fbpx
CinemaCuriosidades

Stephen King no cinema: dedo no c# e gritaria

Stephen King no cinema: dedo no c# e gritaria
Stephen King no cinema: dedo no c# e gritaria

Das páginas dos livros pras telas e telonas: com mais de cem adaptações tanto pro cinema quanto pra TV, Stephen King é mestre em criar histórias marcantes de fantasmas, pessoas enlouquecidas ou com poderes sobrenaturais. Veja agora cinco adaptações audiovisuais do rei do horror e prepare-se para dedo no c# e gritaria!

1) O Iluminado, 1980, Stanley Kubrick

Stephen King no cinema: dedo no c# e gritaria

Apesar da desaprovação de King, a adaptação de “O Iluminado” de Kubrick se tornou um dos maiores clássicos do cinema de terror de todos os tempos!

Quando Jack Torrance (Jack Nicholson) se isola no misterioso Hotel Overlook junto de sua família, coisas estranhas passam a acontecer, levantando a dúvida: o hotel é assombrado ou é Jack que está enlouquecendo?

Leia também: Stephen King revela o filme de terror que ficou com tanto medo que não conseguiu terminar

2) Conta Comigo, 1986, Rob Reiner

Stephen King no cinema: dedo no c# e gritaria

Clássico da Sessão da Tarde, e uma das adaptações cinematográficas favoritas de Stephen King, “Conta Comigo” é uma verdadeira lição de vida! Delicado, melancólico, nostálgico e divertido, fez parte da infância de muita gente!

Advertisement

Baseado em “The Body”, o filme conta a história de quatro garotos que estão a procura do cadáver de um menino desaparecido. Sem saberem, os amigos aprenderão lições sobre a vida, a morte e a amizade.

3) Louca Obsessão, 1990, Rob Reiner

Stephen King no cinema: dedo no c# e gritaria

Louca Obsessão” é o tipo de filme que te deixa de cabelos em pé o tempo todo! Com uma vilã de primeira, Annie Wilkes, brilhantemente interpretada por Kathy Bates, e situações de tirar o fôlego, este é um clássico obrigatório tanto pros fãs de King quanto pros amantes de suspenses provocadores!

O escritor Paul Sheldon (James Caan) sofre um acidente de carro durante uma nevasca, sendo resgatado por Annie Wilkes (Kathy Bates), sua fã número um. Porém, com o passar dos dias, Paul percebe da pior forma possível que o amor de Annie é, na verdade, uma perigosa e doentia obsessão.

4) It – Uma Obra Prima do Medo, 1990, Tommy Lee Wallace

Stephen King no cinema: dedo no c# e gritaria

Telessérie diretamente adaptada do livro homônimo de King, que posteriormente virou um telefilme. Com o incrível Tim Curry como o palhaço Pennywise, a primeira versão de “It” foi um estrondoso sucesso! Tanto que foi pras telonas em 2017 sob a direção de Andy Muschietti.

Em 1960, sete crianças lutam contra o aterrorizante Pennywise (Tim Curry), ou A Coisa, que estava a atormentar a pacata Derry, Meine. Trinta anos depois, A Coisa está de volta a Derry e os amigos arriscarão suas vidas novamente.

Advertisement

5) À Espera de Um Milagre, 1999, Frank Darabont

Stephen King no cinema: dedo no c# e gritaria

Uma das melhores adaptações cinematográficas de Stephen King, “À Espera de Um Milagre” nos toca profundamente falando sobre a brevidade da vida e a inevitabilidade da morte.

O carcereiro Paul Edgecomb (Tom Hanks), é responsável pelo corredor da morte Green Mile e seus detentos. Dentre eles, está o misterioso John Coffey (Michael Clarke Duncan), que apesar da aparência intimidadora, mostra-se delicado e com poderes sobrenaturais. Ao longo do filme, Paul aprende diversas lições de vida junto de John.

About author
Pedro Olivato Montanaro, formado em Rádio e Televisão pela Universidade Anhembi Morumbi. Redator freelancer do Portal Cineramaclube. Cinéfilo de corpo e alma.
Articles
Relacionados:
CríticasCinema

Crítica | Doutor Estranho no Multiverso da Loucura acerta em alguns pontos mas ressalta os erros da fase 4

4 Mins read
Doutor Estranho no Multiverso da Loucura finalmente está chegando aos cinemas mas assim como muitas das produções dessa fase 4 do UCM deve dividir opiniões.
NotíciasCinema

MUBI | Streaming revela as principais estreias do mês de maio; confira!

3 Mins read
Foco em Cannes e especiais dedicados a Joachim Trier e Joseph Losey; a estreia do filme de Kiyoshi Kurosawa, A Mulher de um Espião, e o lançamento exclusivo de Great Freedom
CríticasCinema

Crítica | Boneca Russa (2ª Temporada) - série mantém a qualidade inserindo viagens no tempo no caótico cotidiano de Nadia e Alan

3 Mins read
Passados quatro anos dos acontecimentos surreais vividos por Nadia ( Natasha Lyonne) e Alan ( Charlie Barnett) na 1ª temporada de Boneca Russa, a dupla já conseguiu fugir do constante ciclo de mortalidade que enfrentava diariamente. Mas se eles achavam que já estavam livres das artimanhas do Universo, acabaram descobrindo que era só o começo de mais uma jornada, agora com viagens no tempo via transporte público( o sonho de todos nós?), reencontro com situações vividas por seus antepassados, questões existenciais e históricas, rendendo para Boneca Russa atuações impecáveis e uma nova e sensacional trilha sonora presente também nesta 2ª temporada.