fbpx
CinemaCuriosidadesNotícias

John Williams, 90 anos do maestro de Hollywood

John Williams, 90 anos do maestro de Hollywood

Hoje, 08 de fevereiro, John Williams completa 90 anos de vida. Você pode não conhecer seu rosto, mas com toda certeza já o ouviu nos grandes clássicos de Hollywood! Desde Tubarão, 1975, Steven Spielberg, a Star Wars, 1978, George Lucas. Conheça agora um pouco mais da história de vida de um dos maiores compositores da indústria cinematográfica!

O COMEÇO DE TUDO

Nascido em Nova Iorque em 08 de fevereiro de 1932, John Williams foi exposto à música desde muito cedo. Isso porque seu pai, John Williams Sr. era percursionista da banda de jazz Raymond Scott Quintet, que compunha algumas das várias trilhas sonoras dos antigos desenhos clássicos Looney Tunes. Portanto, teve a quem puxar.

Em 1948, Williams foi para Los Angeles junto de sua família, ingressando em North Hollywood High School, graduando-se em 1950. Mais tarde, entrou na Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), estudando com o compositor italiano Mario Castelnuovo-Tedesco. Aos 20 anos, Williams ingressou na Força Aérea dos Estados Unidos, fazendo parte de sua Air Force Band, onde fez vários arranjos musicais.

Aos 23 anos, em 1955, foi estudar piano com Rosina Lhévinne, em Nova Iorque. Por lá, além de tocar durante a noite em clubes de jazz, trabalhava para compositores de peso, como Henry Macini, compositor da trilha sonora do clássico A Pantera Cor de Rosa, 1963, de Blake Edwards.

PRIMEIROS TRABALHOS

Foi apenas em 1958 que Williams conseguiu compor a trilha sonora inteira de um filme: Daddy-O, de Lou Place. Já em 1967, com a composição do filme Valley of the Dolls, Mark Robson, ganhou sua primeira indicação ao Oscar e muita notoriedade. Porém, foi apenas com Um Violinista no Telhado, 1971, de Norman Jewison, que Williams ganhou de fato seu primeiro Oscar de Melhor Trilha Sonora Adaptada. A partir daí, só sucesso!

Advertisement

SÓ SUCESSOS

Em 1974, Williams fez sua primeira parceria com Steven Spielberg, em Louca Escapada. O relativo sucesso do filme fez com que a parceria se repetisse no ano seguinte, 1975, com um dos filmes de maior sucesso da história do cinema: Tubarão, que, graças à composição de Williams, ganhou o tom de suspense que precisava.

Ganhando outro Oscar, Williams não parou mais, compondo as trilhas sonoras de grandes clássicos do cinema, sendo os mais notáveis:

• 1976, Trama Macabra, Alfred Hitchcock, sendo seu único trabalho com o mestre do suspense;

• 1977, Star Wars, George Lucas e Contatos Imediatos do Terceiro Grau, Steven Spielberg, sendo indicado como Melhor Trilha Sonora pelas duas produções, mas ganhando apenas pela famosa composição musical da primeira, tornando-se peça fundamental da franquia;

• 1978, Superman – O Filme, Richard Donner, apenas recebendo uma indicação da Academia;

Advertisement

• 1980, Star Wars: Episódio V – O Império Contra-Ataca, George Lucas, criando a icônica trilha sonora tema de Darth Vader, Marcha Imperial;

• 1981, Os Caçadores da Arca Perdida, Steven Spielberg, recebendo apenas mais uma indicação da Academia, também tornando-se peça fundamental da franquia;

• 1982, E.T., O Extraterrestre, Steven Spielberg, vencendo na categoria de Melhor Trilha Sonora Oscar 83;

• 1990, Esqueceram de Mim, Chris Columbus, ganhando mais um Oscar de Melhor Trilha Sonora;

• 1993, Jurassic Park e A Lista de Schindler, ambos de Spielberg, ganhando o Oscar de Melhor Trilha Sonora Original pela segunda produção;

Advertisement

• 2002/2005, Harry Potter e a Pedra Filosofal e Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, sendo indicado ao Oscar de Melhor Trilha Sonora.

John Williams é a segunda pessoa mais indicada ao Oscar da história, com 51 nomeações, perdendo apenas para Walt Disney. Ao todo, possui mais de 220 indicações de várias premiações, e 112 prêmios, sendo o compositor de trilha sonora de filmes mais laureado da história. Parabéns John Williams!

Fontes: IMDb

Advertisement

About author
Pedro Olivato Montanaro, formado em Rádio e Televisão pela Universidade Anhembi Morumbi. Redator freelancer do Portal Cineramaclube. Cinéfilo de corpo e alma.
Articles
Relacionados:
CríticasCinema

Crítica | Doutor Estranho no Multiverso da Loucura acerta em alguns pontos mas ressalta os erros da fase 4

4 Mins read
Doutor Estranho no Multiverso da Loucura finalmente está chegando aos cinemas mas assim como muitas das produções dessa fase 4 do UCM deve dividir opiniões.
NotíciasCinema

MUBI | Streaming revela as principais estreias do mês de maio; confira!

3 Mins read
Foco em Cannes e especiais dedicados a Joachim Trier e Joseph Losey; a estreia do filme de Kiyoshi Kurosawa, A Mulher de um Espião, e o lançamento exclusivo de Great Freedom
CríticasCinema

Crítica | Boneca Russa (2ª Temporada) - série mantém a qualidade inserindo viagens no tempo no caótico cotidiano de Nadia e Alan

3 Mins read
Passados quatro anos dos acontecimentos surreais vividos por Nadia ( Natasha Lyonne) e Alan ( Charlie Barnett) na 1ª temporada de Boneca Russa, a dupla já conseguiu fugir do constante ciclo de mortalidade que enfrentava diariamente. Mas se eles achavam que já estavam livres das artimanhas do Universo, acabaram descobrindo que era só o começo de mais uma jornada, agora com viagens no tempo via transporte público( o sonho de todos nós?), reencontro com situações vividas por seus antepassados, questões existenciais e históricas, rendendo para Boneca Russa atuações impecáveis e uma nova e sensacional trilha sonora presente também nesta 2ª temporada.