fbpx
NotíciasCinema

Eddie Murphy foi obrigado pelo estúdio a escalar ator branco em Um Príncipe em Nova York

Eddie Murphy revela que a Paramount pressionou os criadores de Coming to America para incluir um personagem branco no filme.

Dirigido por John Landis, a comédia romântica de 1998 estrelada por Murphy foi um sucesso comercial, estreando em primeiro lugar nas bilheterias. Também marcou o filme de maior ganho da Paramount naquele ano.

Ao longo das últimas décadas, a popularidade do filme perdurou, eventualmente gerando uma sequência intitulada, Coming 2 America, que será lançado no Amazon Prime Video em 5 de março.

De acordo com CinemaBlend, Murphy, ao falar no Jimmy Kimmel Live! com Arsenio Hall, compartilhou que o estúdio pressionou por um personagem branco para se juntar ao elenco, que era composto em grande parte por atores negros. Hall observou:

“Eu amo Louie, mas acho que fomos forçados a colocar Louie nisso. Acho que fomos forçados a colocar uma pessoa branca”.

Advertisement

Murphy concordou, acrescentando sua própria explicação para a decisão do elenco: “Paramount era assim, porque todo o elenco era negro e isso foi nos anos 80. Então foi tipo, ‘Tem que haver uma pessoa branca no filme’. Eu estava tipo, ‘O quê?’ Então, quem era o cara branco mais engraçado por aí? Nós sabíamos que Louie era legal, então foi assim que Louie entrou no filme.

Fonte: Monet

Confira também: iCarly | Jennette McCurdy, a Sam, diz que não vai participar do revival porque sente vergonha da série

About author
Amante do cinema em geral, grande fã de James Bond, e estudante.
Articles
    Relacionados:
    NotíciasCinema

    Alerta Vermelho | Filme ganha data de estreia nos cinemas brasileiros

    1 Mins read
    O longa, original Netflix, vai estrear em novembro deste ano.  O novo filme “Alerta Vermelho” vai chegar aos cinemas brasileiros dia 4…
    CríticasCinema

    Crítica | Ron Bugado - Uma mensagem necessária no momento certo

    4 Mins read
    Ron Bugado conta a história do jovem Barney, um menino de onze anos que tem dificuldade de fazer novos amigos, e seu companheiro Ron, uma inteligência artificial de alta tecnologia que anda, fala e é o “melhor amigo fora da caixa” de Barney. Mas quando Ron começa a ter seu funcionamento comprometido, os dois saem em uma aventura repleta de ação, onde a amizade entre os dois se mostra verdadeira.
    CríticasCinema

    Crítica | Duna - Um grande épico em um ano razoável

    4 Mins read
    Com a retomada dos cinemas em meio a uma pandemia global, estreias sem muito peso e outras decepcionantes, Duna se consagra como o grande épico de 2021, com grandes chances de deixar filmes com maior apelo popular para trás nas bilheterias.