CríticasCinema

Crítica | Vozes e Vultos

Em novo suspense produzido pela Netflix “Vozes e Vultos”, Amanda Seyfried e James Norton enfrentam possessões, aparições e uma crise gigantesca no casamento.

Sabe aqueles filmes de terror onde a família compra uma casa assombrada e dali pra frente a vida deles nunca mais foram as mesmas ? Pois é, o clichê mais conhecido dos filmes assustadores está bem presente em Vozes e Vultos, nova produção da Netflix.

Vozes e Vultos conta a historia do casal Catherine Clare (Amanda Seyfried) e George (James Norton), que se mudam para a cidade onde George irá lecionar. A casa no interior é grande e antiga, além de ser cercada de mistérios que envolve a vida de seus primeiros donos.

Após a mudança, Catherine começa a perceber que coisas estranhas vem acontecendo, o que não a assusta tanto já que ela tem uma ligação é uma crença forte que beira ao espiritismo. O que mais assusta a artista é que seu marido George vem agindo de maneira completamente diferente é extremamente agressivo, como se estivesse possuído por algo ruim. Clichê? Sim!

Vozes e Vultos
Vozes e Vultos | Netflix

A história de uma família que vê fantasmas na casa nova já é coisa antiga, mas mesmo assim parece que a fórmula agrada tanto os roteiristas, diretores e produtores, que é visível em praticamente 60% dos filmes de terror.

O que difere Vozes e Vultos dos outros filmes com certeza é a atuação da Amanda e do James, que mais uma vez foi impecável e deram um show. Além da história colocar a protagonista como uma pessoa sensitiva, ganhando pontos por não mostrar uma mulher fraca e medrosa, e sim alguém curiosa que vai atrás de descobrir o real da história.

Advertisement

Apesar das aparições constantes e do susto leve que levamos no decorrer do filme, o drama e o péssimo convívio do casal acaba chamando toda a atenção, fazendo com que certos detalhes sejam deixados de lado.

Vozes e Vultos
Vozes e Vultos | Netflix

O longa é baseado no livro de Elizabeth Brundage, e foi dirigido por Shari Springer Berman e Robert Pulcini que, apesar de já terem trabalhado em grandes obras, não conseguiram fazer o mesmo feito e trazer a mesma qualidade com Vozes e Vultos.

A Netflix vem investindo bastante em produções originais nos últimos anos, a minha torcida é que isso não vire um problema que acarretará na diminuição da qualidade de cada lançamento. Óbvio que o longa não é de todo ruim, tem seus momentos de tensão e dão leves sustos, mas também não são filmes memoráveis.

Por fim, Vozes e Vultos não ganha o prêmio de obra prima, mas passa bem longe de ser um filme sem graça. A história é interessante, mesmo se perdendo no drama do casal ele não perde a sua essência do suspense.

Vozes e Vultos já está disponível na Netflix.

Advertisement

Nota: 2/5

Veja o trailer:

About author
22 anos, jornalista, amante do cinema e de musicais.
Articles
    Relacionados:
    CinemaNotícias

    Lady Killer | Blake Lively viverá a assassina em adaptação feita pela Netflix

    1 Mins read
    A Netflix não para! Sua próxima versão audiovisual de uma história nascida nos quadrinhos será “Lady Killer”.
    NotíciasCinema

    Glenn Close comenta o desejo de atuar, outra vez, como Cruella

    1 Mins read
    Glenn Close é uma das artistas mais celebradas. Sua parceria com a Disney, na década de 90, deu a ela um dos papéis mais lembrados de sua carreira: a assustadora e bizarra Cruella de Vil.
    NotíciasCinema

    Entenda o motivo que fez Dave Bautista recusar papel em "O Esquadrão Suicida"

    1 Mins read
    Conhecido por dar vida ao Dráx, Dave Bautista explicou a razão de não aceitar o papel em “O Esquadrão Suicida”, vindouro filme do diretor James Gunn.