fbpx
CinemaCríticas

Crítica | Red: Crescer é uma Fera – Pixar surpreende e encanta com história sobre amadurecimento

Red: Crescer é uma Fera, nova animação da Pixar em parceria com os Estúdios Disney, conhecemos Mei Lin uma menina de 13 anos que, de uma hora para outra começa a se transformar em um panda vermelho fofo e grande, quando suas emoções se descontrolam, tornando sua adolescência mais complicada do que já estava. A sinopse simples e imaginativa não revela de forma imediata as problemáticas que a história de Mei Lin nos oferecerá. Mas Pixar é Pixar e, como todos sabemos, sempre arranja a melhor forma de nos surpreender e conquistar.

A história de Mei Lin em “Red- Crescer é uma Fera” se confunde com a história de todas as meninas de sua faixa etária. Aos 13 anos a adolescência já é uma realidade e os jovens tentam se desvencilhar a todo custo da imagem que seus pais tentaram impor a eles durante os anos de infância, para poder adquirir personalidades com as quais mais se identifiquem. Mei Lin segue o mesmo desejo, mas as expectativas em cima de seu futuro são mais exigentes por ser responsável em cuidar do templo de sua família e por ter uma mãe extremamente controladora.

"Red- Crescer é uma Fera", nova animação da Pixar em parceria com os Estúdios Disney, conhecemos Mei Lin uma menina de 13 anos que, de uma hora para outra começa a se transformar em um panda vermelho fofo e grande, quando suas emoções se descontrolam, tornando sua adolescência mais complicada do que já estava. A sinopse simples e imaginativa não revela de forma imediata as problemáticas que a história de Mei Lin nos oferecerá. Mas Pixar é Pixar e, como todos sabemos, sempre arranja a melhor forma de nos surpreender e conquistar.
RED- CRESCER É UMA FERA| Disney/Pixar

A situação piora quando, após mais um episódio de exagerada super proteção por parte de Ming, mãe de Mei Lin, a adolescente começa a se transformar em um panda gigante vermelho. Depois do desespero inicial os pais de Mei Lin tentam acalmar o temperamento e as emoções da adolescente para que ela não revele sua fera interior diante dos olhos da população.

A transformação de Mei Lin cabe em toda e qualquer alusão que possa ser feita com o período da puberdade, mas o filme não se restringe à esse recorte específico como se só os mais jovens tivessem seus pandas vermelhos indomáveis cravados dentro de si. E é isso que o faz tão genial e acaba fazendo com que o telespectador se veja naquela ou em outras situações sem necessariamente ter 13 anos de idade.

"Red- Crescer é uma Fera", nova animação da Pixar em parceria com os Estúdios Disney, conhecemos Mei Lin uma menina de 13 anos que, de uma hora para outra começa a se transformar em um panda vermelho fofo e grande, quando suas emoções se descontrolam, tornando sua adolescência mais complicada do que já estava. A sinopse simples e imaginativa não revela de forma imediata as problemáticas que a história de Mei Lin nos oferecerá. Mas Pixar é Pixar e, como todos sabemos, sempre arranja a melhor forma de nos surpreender e conquistar.
RED- CRESCER É UMA FERA| Disney/Pixar

O medo do julgamento, a luta em busca da aceitação da família, dos amigo e da sociedade; a liberdade de procurar abandonar expectativas alheias para seguir o próprio caminho encontram-se na vontade humana em qualquer idade. E é isso que a Pixar tem de mais valoroso, além do belo trabalho de suas animações. A qualidade de enredo Pixar capaz de encantar crianças, adolescentes e adultos que com certeza entenderão de um modo único, a cada época da vida, está muito presente aqui. E ao mesmo tempo que isso só reafirma a qualidade das duas empresas, A temática aceitação vem em um momento delicado, diante das últimas manchetes envolvendo o nome Disney.

É contrastante perceber o impacto que uma narrativa assim representa após o problemático apoio da Disney à um projeto de lei chamado “Don’t Say Gay” que tem como objetivo proibir que professores reconheçam a existência de pessoas LGBTQ+. Após a divulgação deste apoio, funcionários da Pixar se pronunciaram em carta, acusando a Disney de interferir e sempre censurar personagens LGBTQ+ em filmes.

Advertisement

Agora que temos a certeza que a censura de fato existe, pelo menos quando depender da aprovação do CEO da Walt Disney Company, Bob Chapek, qualquer narrativa PIXAR revelará ser mais profunda do que aparenta ser. E sabemos que em termos de Pixar, é sempre mais profundo do que possa parecer. As temáticas de amadurecimento, aceitação, redes de apoio e incentivo da pessoa se aceitar como ela é são totalmente opostas ao posicionamento da grande empresa, liderada por Chapek. O que mostra que o esforço da Pixar em se contrapor contra este discurso criminoso se mostra não só na carta mas também nas entrelinhas de todas as suas produções.

"Red- Crescer é uma Fera", nova animação da Pixar em parceria com os Estúdios Disney, conhecemos Mei Lin uma menina de 13 anos que, de uma hora para outra começa a se transformar em um panda vermelho fofo e grande, quando suas emoções se descontrolam, tornando sua adolescência mais complicada do que já estava. A sinopse simples e imaginativa não revela de forma imediata as problemáticas que a história de Mei Lin nos oferecerá. Mas Pixar é Pixar e, como todos sabemos, sempre arranja a melhor forma de nos surpreender e conquistar.
RED- CRESCER É UMA FERA| Disney/Pixar

Todos os personagens da animação “Red- Crescer é uma Fera” são encantadores. A família de Mei Lin, o vizinho que participa dos rituais da família, as melhores amigas da escola e até o vigia que persegue a mãe de Mei Lin em suas intromissões no ambiente escolar. É impossível não se encantar com cada um deles.

Outro ponto positivo foi o retrato fiel das família orientais que, mesmo quando estão fora de seus países de origem, costumam honrar suas tradições de forma bem atuante e isso não foi deixado de lado no enredo de “Red: Crescer é uma Fera”. Vemos a família de Mei Lin cuidando com muito respeito e dedicação do templo ancestral de sua linhagem, bem como cumprindo todos os seus rituais.

"Red- Crescer é uma Fera", nova animação da Pixar em parceria com os Estúdios Disney, conhecemos Mei Lin uma menina de 13 anos que, de uma hora para outra começa a se transformar em um panda vermelho fofo e grande, quando suas emoções se descontrolam, tornando sua adolescência mais complicada do que já estava. A sinopse simples e imaginativa não revela de forma imediata as problemáticas que a história de Mei Lin nos oferecerá. Mas Pixar é Pixar e, como todos sabemos, sempre arranja a melhor forma de nos surpreender e conquistar.
RED- CRESCER É UMA FERA| Disney/Pixar

Esse cuidado com os detalhes se deve em parte pela animação ter como diretora a profissional chinesa Domee Shi, responsável por dirigir e desenhar storyboards e grande vencedora do Oscar na categoria de Melhor Curta de Animação pelo fofíssimo Bao. Esse cuidado em retratar famílias tradicionais é muito bem vindo nos países homenageados.

“Red- Crescer é uma Fera” é um espetáculo em forma de animação, se tornando mais um acerto da Pixar em parceria com a empresa Walt Disney Studios. Acerto que vem em hora certa propícia, até como uma forma indireta de aliviar os últimos acontecimentos, sem fazer com que o público esqueça da atitude preconceituosa da empresa Disney. Ainda que o investimento maior seja da Disney, a criatividade e o empenho provém de profissionais que não concordam com o posicionamento do CEO e , portanto, não merecem boicote.

Advertisement
Nota: 5/5
Assista ao trailer:

Leia também:

Crítica | Pam e Tommy – série acerta em mobilizar acolhimento, mas expõe Pamela novamente, sem permissão

Crítica | Space Force (2ª temporada) – Série até tenta, mas não decola

About author
Jornalista, advogada, cantora de videokê, dançarina de Calypso e agora: crítica de streaming.
Articles
Relacionados:
CríticasCinema

Crítica | Doutor Estranho no Multiverso da Loucura acerta em alguns pontos mas ressalta os erros da fase 4

4 Mins read
Doutor Estranho no Multiverso da Loucura finalmente está chegando aos cinemas mas assim como muitas das produções dessa fase 4 do UCM deve dividir opiniões.
NotíciasCinema

MUBI | Streaming revela as principais estreias do mês de maio; confira!

3 Mins read
Foco em Cannes e especiais dedicados a Joachim Trier e Joseph Losey; a estreia do filme de Kiyoshi Kurosawa, A Mulher de um Espião, e o lançamento exclusivo de Great Freedom
CríticasCinema

Crítica | Boneca Russa (2ª Temporada) - série mantém a qualidade inserindo viagens no tempo no caótico cotidiano de Nadia e Alan

3 Mins read
Passados quatro anos dos acontecimentos surreais vividos por Nadia ( Natasha Lyonne) e Alan ( Charlie Barnett) na 1ª temporada de Boneca Russa, a dupla já conseguiu fugir do constante ciclo de mortalidade que enfrentava diariamente. Mas se eles achavam que já estavam livres das artimanhas do Universo, acabaram descobrindo que era só o começo de mais uma jornada, agora com viagens no tempo via transporte público( o sonho de todos nós?), reencontro com situações vividas por seus antepassados, questões existenciais e históricas, rendendo para Boneca Russa atuações impecáveis e uma nova e sensacional trilha sonora presente também nesta 2ª temporada.
×
CríticasSéries

Crítica | Pam e Tommy - série acerta em mobilizar acolhimento, mas expõe Pamela novamente, sem permissão