fbpx
CríticasSéries

Crítica | Pam e Tommy – série acerta em mobilizar acolhimento, mas expõe Pamela novamente, sem permissão

Pam e Tommy, série disponível no Star Plus, encerra a história real da primeira sex tape divulgada sem permissão, em uma época em que a rede mundial de computadores ainda estava em seus primeiros passos. E apesar de mostrar em seus oito capítulos quem realmente sofreu com toda a repercussão negativa desse compartilhamento criminoso, ao expor novamente todo o trauma pelos julgamentos sofridos na época, não permitiu que a vítima principal, a atriz Pamela Anderson tenha sua história contada com sua permissão. Pamela Anderson já anunciou em suas redes sociais que contará sua verdadeira história em documentário a ser lançado pela Netflix.

Tudo o que foi discutido nas primeiras impressões sobre a série Pam e Tommy foi confirmado e não tinha como ser diferente. Em toda e qualquer situação vexatória de divulgação de cenas íntimas, como vingança, de forma criminosa ou com intuitos midiáticos a parte que mais sofre por ser mais condenada, ridicularizada e julgada de forma errada é a mulher. E o caso de Pamela, considerado o primeiro a ter grande repercussão por envolver famosos e acontecer no início da internet serve até como recorte exemplificativo do que mudou e do que não mudou em termos comportamentais, tecnológicos e jurídicos sobre o assunto.

Pam e Tommy, série disponível no Star Plus, encerra a história real da primeira sex tape divulgada sem permissão,  em uma época em que a rede mundial de computadores ainda estava em seus primeiros passos.  E apesar de mostrar em seus oito capítulos quem realmente sofreu com toda a repercussão negativa desse compartilhamento criminoso, ao expor novamente todo o trauma pelos julgamentos sofridos na época, não permitiu que a vítima principal, a atriz Pamela Anderson tenha sua história contada com sua permissão.  Pamela Anderson já anunciou em suas redes sociais que contará sua verdadeira história em documentário a ser lançado pela Netflix.
Pam e Tommy| Hulu; StarPlus

Todas as cenas íntimas que teve que encenar junto ao ator Sebastian Stan, podem ser consideradas um tanto quanto desnecessárias se o objetivo era oferecer redenção tardia ao que ocorreu com Pamela. Pamela e Tommy Lee eram um casal de atitudes e demonstrações de amor e paixão extremas e intensas, como qualquer arquivo de jornais e revistas norte americanos pode relembrar com uma simples busca na internet. Mas, como já comentado, a atriz não autorizou o uso de sua história para as filmagens desta série.

Se, apesar de tratarem a exposição de sua história com o respeito que ela sempre mereceu, reforçarem o estereótipo que muitos podem usar como argumento para falar que a atriz estava de acordo com toda a situação, a série poderia perder sua razão de existir. Felizmente as cenas em questão foram utilizadas somente para explicar, mesmo que de forma explícita, o que acontecia entre o casal e a partir da exibição de novos episódios o foco se transforma em: e agora, como podemos lidar com tudo isso?

Pam e Tommy, série disponível no Star Plus, encerra a história real da primeira sex tape divulgada sem permissão,  em uma época em que a rede mundial de computadores ainda estava em seus primeiros passos.  E apesar de mostrar em seus oito capítulos quem realmente sofreu com toda a repercussão negativa desse compartilhamento criminoso, ao expor novamente todo o trauma pelos julgamentos sofridos na época, não permitiu que a vítima principal, a atriz Pamela Anderson tenha sua história contada com sua permissão.  Pamela Anderson já anunciou em suas redes sociais que contará sua verdadeira história em documentário a ser lançado pela Netflix.
Pam e Tommy| HULU ; Star Plus

E não se pode negar, Lily James brilhou em seu papel como Pamela. A caracterização da atriz para viver o papel funcionou perfeitamente e por vezes esquecemos que é a Lily que está ali, não a própria Pamela Anderson. E a atuação foi impecável em todos os momentos. As cenas em que teve que mostrar o desconforto que Pamela sentia a cada insinuação desrespeitosa que recebia de advogados, apresentadores de televisão e mídia nos faz questionar até que ponto o tratamento que mulheres vítimas de violações sexuais ou morais evoluiu ou regrediu com o passar dos anos.

Nos momentos em que Lily expôs a tristeza que debilitava Pamela a cada negativa de novos trabalhos em filmes ou negativas de publicações em revistas femininas e a dor que não conseguimos nem mensurar ao ser violada em sua privacidade e ainda ter que fingir estar bem quando mostravam a ela trechos da fita, questionando-a sobre seu passado em uma clara tentativa de “culpabilização” da vítima. É inevitável, acabamos por finalmente acolher Pamela depois de tudo o que ela sofreu. A série foi brilhante em apontar o dedo na cara de todos os responsáveis por espalhar ou repercutir de forma direta ou indireta a fita roubada que causou tantos transtornos na vida de uma atriz em ascensão.

Advertisement
Pam e Tommy, série disponível no Star Plus, encerra a história real da primeira sex tape divulgada sem permissão,  em uma época em que a rede mundial de computadores ainda estava em seus primeiros passos.  E apesar de mostrar em seus oito capítulos quem realmente sofreu com toda a repercussão negativa desse compartilhamento criminoso, ao expor novamente todo o trauma pelos julgamentos sofridos na época, não permitiu que a vítima principal, a atriz Pamela Anderson tenha sua história contada com sua permissão.  Pamela Anderson já anunciou em suas redes sociais que contará sua verdadeira história em documentário a ser lançado pela Netflix.
Pam & Tommy | HULU , Star Plus

Os outros envolvidos no escândalo são igualmente bem representados. Sebastian Stan já é querido do público por conta de seus trabalhos anteriores em filmes de super herói e empresta essa simpatia na sua representação de Tommy Lee. E essa simpatia é bem necessária em certas partes da narrativa, pois por diversas vezes o comportamento agressivo de Tommy em relação às frustações que ocorriam ao seu redor durante a grande repercussão da fita vazada, vem à tona. E é preciso muito jogo de cintura pra contornar o aspecto negativo de cada um desses momentos e ainda assim se mostrar interessante para a audiência. E Sebastian consegue com muita maestria.

O marceneiro Rand Gauthier, grande responsável pelo furto e posterior divulgação da fita na indústria de filmes pornô e na internet, é interpretado por Seth Rogen. E Seth consegue interpretá-lo sem trazer à ele a carga dramática de vítima ou de merecedor de empatia do público. Rand é caracterizado como um ser humano em busca de seu alinhamento com o Karma que, diante de uma situação de conflito, não prevê a consequência de seus atos e tenta uma forma de prejudicar Tommy Lee com tudo o que tiver ao seu alcance, se beneficiando com isso.

Pam e Tommy, série disponível no Star Plus, encerra a história real da primeira sex tape divulgada sem permissão,  em uma época em que a rede mundial de computadores ainda estava em seus primeiros passos.  E apesar de mostrar em seus oito capítulos quem realmente sofreu com toda a repercussão negativa desse compartilhamento criminoso, ao expor novamente todo o trauma pelos julgamentos sofridos na época, não permitiu que a vítima principal, a atriz Pamela Anderson tenha sua história contada com sua permissão.  Pamela Anderson já anunciou em suas redes sociais que contará sua verdadeira história em documentário a ser lançado pela Netflix.
Pam e Tommy | HULU, Star Plus

O comportamento de Rand( Seth Rogen) não conquista o público que estiver assistindo Pam e Tommy, e é exatamente esse o objetivo. É como um grande letreiro de aviso: Nunca trate mal as pessoas que trabalham para você/ Tome cuidado para não prejudicar pessoas que nada tenham a ver com sua frustração.

Outras figuras muito conhecidas do público são apresentadas nos episódios finais de Pam e Tommy, Jay Leno em sua patética entrevista com Pamela no programa The Tonight Show e o empresário Hugh Hefner, fundador da revista playboy que foi um dos entusiastas da carreira fotográfica e midiática da jovem Pamela Anderson. Dois momentos emblemáticos que mereceram atenção na série e mostram, através de comportamentos contrastantes, a forma como tratavam Pamela e seu direito de mostrar seu corpo da forma que preferisse sem que isso desse o direito da mídia a tratar como alguém indigna de respeito. Como fizeram por anos.

Pam e Tommy, série disponível no Star Plus, encerra a história real da primeira sex tape divulgada sem permissão,  em uma época em que a rede mundial de computadores ainda estava em seus primeiros passos.  E apesar de mostrar em seus oito capítulos quem realmente sofreu com toda a repercussão negativa desse compartilhamento criminoso, ao expor novamente todo o trauma pelos julgamentos sofridos na época, não permitiu que a vítima principal, a atriz Pamela Anderson tenha sua história contada com sua permissão.  Pamela Anderson já anunciou em suas redes sociais que contará sua verdadeira história em documentário a ser lançado pela Netflix.
Pam e Tommy | HULU, Star Plus

Apesar de todos os méritos da série Pam e Tommy, Pamela sequer foi consultada ou deu aval para que esta série pudesse existir. Mesmo que a imagem da atriz tenta sido tratada com respeito, inspirando acolhimento e respeito a verdadeira vítima da história, lançar algo sobre um episódio traumático da vida de alguém sem sua permissão não é nada respeitoso. Sem contar na ironia deste evento traumático ter se originado de uma divulgação também não autorizada de algo bastante pessoal como um vídeo caseiro de sexo entre marido e mulher.

Advertisement

Pamela Anderson divulgou em suas redes sociais que sua verdadeira história será contada em um documentário, já em produção pela plataforma de streaming Netflix. Nas palavras escritas pela própria atriz : “Minha vida. Mil imperfeições. Um milhão de percepções equivocadas. Cruel, selvagem e perdida. Nenhuma expectativa. Eu só posso te surpreender. Não sou uma vítima, mas sim uma sobrevivente. E viva para te contar a história real”.

Pam e Tommy, série disponível no Star Plus, encerra a história real da primeira sex tape divulgada sem permissão,  em uma época em que a rede mundial de computadores ainda estava em seus primeiros passos.  E apesar de mostrar em seus oito capítulos quem realmente sofreu com toda a repercussão negativa desse compartilhamento criminoso, ao expor novamente todo o trauma pelos julgamentos sofridos na época, não permitiu que a vítima principal, a atriz Pamela Anderson tenha sua história contada com sua permissão.  Pamela Anderson já anunciou em suas redes sociais que contará sua verdadeira história em documentário a ser lançado pela Netflix.
Pam e Tommy| HULU, Star Plus

Agora, com o poder de narrar e com ganho financeiro consentido sobre isso, Pamela estará livre pra nos contar sua história. E o telespectador pode escolher se quer saber primeiro pela série Pam e Tommy através da interpretação de atores como Lily James, Sebastian Stan, Seth Rogen e grande elenco ou se prefere esperar para ouvir diretamente de Pamela Anderson.

Pam e Tommy é uma excelente série que só peca por cometer o mesmo erro que Rand Gauthier, mas se redime em termos por dar a Pamela a deixa para que ela possa escrever publicamente sua própria versão.

A temporada completa de Pam e Tommy já está disponível no Star +.

Nota: 5/5
Assista ao trailer:

Leia também :

Advertisement

Primeiras Impressões | Pam e Tommy

Crítica | Space Force (2ª temporada) – Série até tenta, mas não decola

About author
Jornalista, advogada, cantora de videokê, dançarina de Calypso e agora: crítica de streaming.
Articles
Relacionados:
CríticasCinema

Crítica | Doutor Estranho no Multiverso da Loucura acerta em alguns pontos mas ressalta os erros da fase 4

4 Mins read
Doutor Estranho no Multiverso da Loucura finalmente está chegando aos cinemas mas assim como muitas das produções dessa fase 4 do UCM deve dividir opiniões.
CríticasCinema

Crítica | Boneca Russa (2ª Temporada) - série mantém a qualidade inserindo viagens no tempo no caótico cotidiano de Nadia e Alan

3 Mins read
Passados quatro anos dos acontecimentos surreais vividos por Nadia ( Natasha Lyonne) e Alan ( Charlie Barnett) na 1ª temporada de Boneca Russa, a dupla já conseguiu fugir do constante ciclo de mortalidade que enfrentava diariamente. Mas se eles achavam que já estavam livres das artimanhas do Universo, acabaram descobrindo que era só o começo de mais uma jornada, agora com viagens no tempo via transporte público( o sonho de todos nós?), reencontro com situações vividas por seus antepassados, questões existenciais e históricas, rendendo para Boneca Russa atuações impecáveis e uma nova e sensacional trilha sonora presente também nesta 2ª temporada.
NotíciasSéries

La Casa de Papel: Coreia | Remake ganha data de estreia e teaser

1 Mins read
Remake de La Casa de Papel chega em 24 de junho na Netflix. O remake coreano da famosa série La Casa de…
×
CríticasCinema

Crítica | Crush à Altura 2 - sequência decepciona mas ensina lição sobre autossabotagem