fbpx
CríticasNotíciasSéries

Crítica | Murderville (Temporada 1) – Uma série com uma boa ideia, porém fraca no humor

Murderville, nova atração da Netflix, é uma ideia inovadora que mistura série policial, improvisos e um programa de esquetes de humor; Celebridades fazem participações sem roteiro e nada planejado, e tem que levar adiante o restante do show na base do improviso.

É difícil pra mim falar mal de algo que tenha Will Arnett, principalmente como protagonista; o cara é um monstro, um excelente comediante que sabe lidar muito bem com humor físico e também tem uma voz diferenciada, que o coloca em destaque quando o assunto é dublagem. Lego Batman é um exemplo disso, sendo um excelente filme e na minha opinião, 50% do sucesso do filme é a dublagem de Will Arnett como Batman; Sem falar em outros trabalhos do ator como Arrested Development, Bojack Horseman, Will e Grace, enfim…

Porém em Murderville, percebemos que nem o talento do protagonista basta para salvar essa série do esquecimento. São várias celebridades que aparecem na série, e nomes de peso como: Sharon Stone, Conan O’Brien, Kumail Nanjiani, Ken Jeong e outros; uns se saem bem, outros nem tanto…

Annie Murphy e Will Arnett | Murderville – Netflix

O humor de improviso que a série usa é uma faca de dois gumes: Assim como pode ser algo engraçado e completamente espontâneo, também pode ser algo constrangedor e estranho quando não acontece da maneira ”certa”.

Outro detalhe é que o improviso é algo que não atinge o grande público, e sim um nicho mais específico. Nem todos gostam desse tipo de humor, que puxa até pra um ”Stand Up Comedy”, quando uma pessoa fica falando sobre assuntos aleatórios e fazendo graça com piadas descontraídas.

Eu gosto de stand up, não assisto com frequência, mas para passar o tempo de uma maneira mais leve; Infelizmente confesso que Murderville com seus 6 episódios raramente me tiraram algum riso, pois o formato em que é feito o programa é algo meio estranho, e por várias vezes eu ficava na dúvida se realmente era improviso, ou uma esquete roteirizada.

O que segura as pontas é a atuação primorosa de Will Arnett, que consegue levar adiante o programa de uma maneira fácil e que afasta o constrangimento inicial em vários momentos. As celebridades horas se saem bem, horas se saem mal, e isso é a proposta do programa, entretanto acaba ficando para Will Arnett e Hannefah Wood, sua parceira na série, levar adiante o programa.

Advertisement
Lilan Bowden, Will Arnett e Marshawn Lynch | Murderville – Netflix

A série também acaba usando muitas referências americanas, afinal é uma série americana; Porém isso complica para o pessoal que elabora as legendas e as dublagens, pois eles tem que se virar para alterar e fazer a ”Localização” para os idiomas locais, adaptando e trocando as referências para que o público de outros países que estão assistindo possam entender melhor as piadas e as referências.

É uma série que realmente é feita para um público muito específico, pois além de usar o humor de improviso, também usa demasiadamente referências e piadas dos EUA. Sinceramente acho difícil que seja um grande sucesso comercial por lá e muito menos no restante do mundo. A série tem tudo para ser apenas mais um conteúdo para encher o catálogo do streaming.

Porém se podemos tirar algo de bom da série são as atuações na média de Lilan Bowden, Hannefah Wood e claro, Will Arnett: Ele consegue tirar leite de pedra com seu humor característico, auxiliar seus convidados celebridades e ainda conduz a série de uma maneira justa com um personagem engraçado e carismático como Terry Seattle.

Murderville já está disponível no catálogo da Netflix.

NOTA 2/5

Assista ao trailer:
Leia também:

Crítica – Amor com Fetiche

Crítica | Inventando Anna- série conta história real de jovem golpista.

About author
Pai, Gaúcho e fã de Cinema, Café e Cerveja; Não necessariamente nessa ordem.
Articles
Relacionados:
CríticasCinema

Crítica | Doutor Estranho no Multiverso da Loucura acerta em alguns pontos mas ressalta os erros da fase 4

4 Mins read
Doutor Estranho no Multiverso da Loucura finalmente está chegando aos cinemas mas assim como muitas das produções dessa fase 4 do UCM deve dividir opiniões.
NotíciasCinema

MUBI | Streaming revela as principais estreias do mês de maio; confira!

3 Mins read
Foco em Cannes e especiais dedicados a Joachim Trier e Joseph Losey; a estreia do filme de Kiyoshi Kurosawa, A Mulher de um Espião, e o lançamento exclusivo de Great Freedom
CríticasCinema

Crítica | Boneca Russa (2ª Temporada) - série mantém a qualidade inserindo viagens no tempo no caótico cotidiano de Nadia e Alan

3 Mins read
Passados quatro anos dos acontecimentos surreais vividos por Nadia ( Natasha Lyonne) e Alan ( Charlie Barnett) na 1ª temporada de Boneca Russa, a dupla já conseguiu fugir do constante ciclo de mortalidade que enfrentava diariamente. Mas se eles achavam que já estavam livres das artimanhas do Universo, acabaram descobrindo que era só o começo de mais uma jornada, agora com viagens no tempo via transporte público( o sonho de todos nós?), reencontro com situações vividas por seus antepassados, questões existenciais e históricas, rendendo para Boneca Russa atuações impecáveis e uma nova e sensacional trilha sonora presente também nesta 2ª temporada.