CríticasCinema

Crítica | Frozen 2

Frozen 2 inova mais uma vez no conceito da não existência de um vilão e um par romântico para uma das protagonistas como um dos elementos principais da trama.

Pode-se dizer que é uma história de amizade, coragem, companheirismo e amor. Não tão aguardado quanto o primeiro filme, mas a sequência mostra as irmãs em lados opostos (não como inimigas), mas cada qual buscando pela sua própria luta.

Voltamos primeiro ao passado delas, a sinopse já deixa claro que não é uma viagem ao futuro, a uma trama nova, mas sim, uma viagem ao passado e ao conhecimento dos poderes de Elsa e dos seus ancestrais: “De volta à infância de Elsa e Anna, as duas garotas descobrem uma história do pai, quando ainda era príncipe de Arendelle. Ele conta às meninas a história de uma visita à floresta dos elementos, onde um acontecimento inesperado teria provocado a separação dos habitantes da cidade com os quatro elementos fundamentais: ar, fogo, terra e água. Esta revelação ajuda Elsa a compreender a origem de seus poderes.”

Crítica | Frozen 2
Frozen 2 | Walt Disney Pictures

E é isso mesmo. Desde os primeiros minutos, com a primeira canção “All Is Found” a rainha Iduna (Evan Rachel Wood) mostra que Anna e Elsa (Kristen Bell e Idina Menzel) teriam um caminho a trilhar. Já adultas e vivendo bem em Arendelle, Elsa ouve um chamado e temos a performance da música mais famosa da sequência “Into the Unknown” – pela Idina Menzel e a cantora Aurora – a música não é uma “Let It Go”, o grande sucesso do primeiro filme, mas entrega o que promete o título da canção. Elsa não sabia que estava perdida. Que precisava encontrar algo. Ela tinha um chamado. Um chamado para o desconhecido.

É aí que começa a jornada das duas irmãs. Ambas tinham feito uma promessa de fazerem tudo juntas e é isso que elas decidem fazer: irem em busca de suas origens juntas, ao lado delas, vão Kristoff (Jonathan Groff) – completamente apaixonado por Anna – o boneco de neve Olaf (Josh Gad) em sua fase de amadurecimento mas sem perder o humor e a rena Sven, partem em busca de descobrirem o mistério que as cerca.

Temos uma neblina, uma floresta em que os habitantes não vêem o céu há anos e a introdução de novos personagens: as pessoas da tribo Northuldra, entre elas, Yelena, a líder e protetora da tribo, Ryder, um dos habitantes que tenta ajudar Kristoff em uma missão quase impossível, Honeymaren, uma das habitantes que será amiga de Anna e uma salamandra pra lá de especial. Além da tribo dos Northuldra, ficaram na floresta o tenente Mattias e boa parte dos seus soldados, todos de Arendelle.

Advertisement
Crítica | Frozen 2
Frozen 2 | Walt Disney Pictures

Todos esses personagens são importantes para a história, mas sem desviar o foco de Anna e Elsa.
Os números musicais são importantes, como “When I Am Older” em que Olaf fala sobre o amadurecimento e o medo de crescer e Kristoff “Lost In The Woods” sobre o seu amor por Anna, mas não são o foco principal da história, custa-se dizer que foram necessários para mostrar a linha que se seguiria para os coadjuvantes.

Já avançando na história, quando as duas irmãs e Olaf estão num impasse em que Elsa entendeu o seu real propósito e onde teria que ir, Anna decide que seu dever é ir com a irmã por causa da promessa que fizeram, mas Elsa vê que ela tem que fazer aquilo sozinha e que o momento de Anna chegaria e não seria com ela. É quando as duas se separam e Elsa segue sozinha para o seu destino que envolve encontrar o quinto elemento.

Enfrentando ondas gigantes, cavalos marinhos e memórias do passado, Elsa entendeu que tudo estava relacionado aos seus poderes e como ela os usaria a partir de então. Por outro lado, Anna entendeu que sua missão era seguir sozinha sem a irmã para enfrentar seus próprios medos e é o que ela faz, sem Olaf, porque ele está interligado com Elsa e depois de a irmã sofrer um grave acidente com seus poderes, Anna segue sozinha e performa “The Next Right Thing”, uma canção sobre si mesma e enfrentar tudo o que vier.

Crítica | Frozen 2
Frozen 2 | Walt Disney Pictures

Separadas e quase no fim do filme, mesmo longe, as irmãs Elsa e Anna estão ligadas e precisam usar o elo que as une para libertar o povo da escuridão da floresta encantada e entenderem o seu passado. Quando finalmente elas entendem o que aconteceu e o porquê, o povo de Arendelle e até elas próprias podem viver em paz, porque o que estava escondido lhes foi mostrado.

Não tão empolgante quanto o primeiro, mas com uma boa história e bom desenvolvimento, Frozen 2 é um prato cheio sobre confiança e dar o primeiro passo para sua auto-descoberta.

Advertisement

Nota: 3,5/5

Assista ao trailer:

Relacionados:
NotíciasCinema

Deadpool 3 é oficialmente confirmado pela Marvel; confira detalhes

1 Mins read
Parece que o mercenário mais querido da Marvel está finalmente voltando à ação! Tudo tem estado quieto em relação a Deadpool desde…
NotíciasCinema

Batman ainda usará uma arma no Snyder Cut da Liga da Justiça

1 Mins read
Uma nova imagem da Liga da Justiça de Zack Snyder, divulgada por Ben Affleck, mostra que Batman ainda usa uma arma no…
NotíciasCinema

Herdeira da Disney doa grande parte de sua fortuna: "Tinha vergonha do meu sobrenome"

2 Mins read
Abigail Disney é neta de Roy Oliver Disney, co-fundador da empresa ao lado do conhecido Walt Disney. Contudo, ela se diz envergonhada…