fbpx
CríticasCinema

Crítica | De volta ao baile- Rebel Wilson protagoniza divertida comédia sobre popularidade e amadurecimento

Na nova comédia romântica da Netflix “De volta ao baile”, conhecemos Stephanie, uma jovem capitã das líderes de torcida que sofre um acidente em uma apresentação e fica em coma por 20 anos, perdendo consequentemente as últimas duas semanas de seu colegial e o tão sonhado título de rainha do baile da escola. Ao acordar, já adulta, estabelece uma forma bastante incomum de retornar à sua própria vida: corre atrás de poder viver as duas semanas no colégio e o baile que perdeu, no corpo de uma adulta em seus quase 40 anos de idade, mas com a mente adolescente. Podemos reconhecer vários elementos de outros enredos aqui, mas, apesar do roteiro clichê, o filme diverte com seus momentos hilários e o timing cômico já conhecido de Rebel Wilson, a atriz que interpreta a protagonista em sua idade adulta.

A atriz Rebel Wilson, já conhecida pelos telespectadores assíduos de comédias românticas como Escolha Perfeita(2012), Megarromântico(2019), Missão Madrinhas de casamento(2011) e Trapaceiras(2019) brilha agora como a protagonista adulta que precisa superar o que lhe foi tomado para que possa seguir em frente. Analisando a sinopse de cara, percebemos que ,não fosse o enfoque cômico predominante na atuação de Rebel e no enredo como um todo, “De volta ao baile” poderia facilmente ser um filme de drama com ênfases específicas nas consequências traumáticas que o turbilhão de realidade após anos de coma, pode representar na vida de uma adolescente no corpo de adulta.

Na nova comédia romântica da Netflix "De volta ao baile", conhecemos Stephanie, uma jovem capitã das líderes de torcida que sofre um acidente em uma apresentação e fica em coma por 20 anos, perdendo consequentemente as últimas duas semanas de seu colegial e o tão sonhado título de rainha do baile da escola. Ao acordar, já adulta, estabelece uma forma bastante incomum de retornar à sua própria vida: corre atrás de poder viver as duas semanas no colégio e o baile que perdeu, no corpo de uma adulta em seus quase 40 anos de idade, mas com a mente adolescente. Podemos reconhecer vários elementos de outros enredos aqui, mas, apesar do roteiro clichê, o filme diverte com seus momentos hilários e o timing cômico já conhecido de Rebel Wilson, a atriz que interpreta a protagonista em sua idade adulta.
De Volta ao Baile | NETFLIX

Felizmente a história de Stephanie conseguiu comover sem beirar o drama melancólico e conseguiu divertir bastante sem querer ser mais do que é: uma comédia romântica colegial sobre aceitação, amizade e amadurecimento, como todas as melhores comédias românticas são.

É interessante que 9 entre 10 filmes escolha o ambiente escolar para tratar de assuntos importantes para a adolescência, já que é neste ambiente que o jovem passa a maior parte de seu tempo. Na configuração atual do colégio de Stephanie(Rebel Wilson), quando ela retorna depois de 20 anos de seu último contato com os corredores do colegial, há um enorme esforço em modificar a forma como o jovem é cobrado em ser popular e não ser o “excluído”. Vemos sob os olhos perplexos de incredulidade da protagonista que a tentativa, de reprimir o comportamento dos adolescentes, forma uma corrente de positivismo nada natural. Como se tentassem reprimir algo natural no contexto social da vida no colégio e na sociedade.

Na nova comédia romântica da Netflix "De volta ao baile", conhecemos Stephanie, uma jovem capitã das líderes de torcida que sofre um acidente em uma apresentação e fica em coma por 20 anos, perdendo consequentemente as últimas duas semanas de seu colegial e o tão sonhado título de rainha do baile da escola. Ao acordar, já adulta, estabelece uma forma bastante incomum de retornar à sua própria vida: corre atrás de poder viver as duas semanas no colégio e o baile que perdeu, no corpo de uma adulta em seus quase 40 anos de idade, mas com a mente adolescente. Podemos reconhecer vários elementos de outros enredos aqui, mas, apesar do roteiro clichê, o filme diverte com seus momentos hilários e o timing cômico já conhecido de Rebel Wilson, a atriz que interpreta a protagonista em sua idade adulta.
De Volta ao Baile | NETFLIX

Nesse ponto o amadurecimento de Stephanie( Rebel Wilson) teve que ser condensado entre as diversas situações que ela se propõe a viver em sua nova oportunidade de recuperar o tempo perdido. E é essa a beleza indireta do enredo de “De volta ao baile”. Aprendendo ou não a lição, a vida segue. E Stephanie sabe que mesmo que não tenha sentido que seu tempo passou, os traumas e a realidade a obrigam a aceitar e entender o que deve ser feito dali em diante.

A Netflix tem investido bastante nesse nicho, por saber que os telespectadores adoram os clássicos mas também gostam de novidades, seja em relação à novos aspectos a serem abordados em cada história, seja na apresentação de uma nova geração de atores. E essa troca entre diferentes gerações, quando presente em um mesmo filme como “De volta ao baile”, faz toda a diferença. Tanto pela identificação dos telespectadores com o personagem que se encontra em sua provável faixa etária, quanto pela troca entre os próprios personagens. E esse filme usa essa troca de uma forma muito inteligente e auto referencial, unindo elementos da cultura pop, dos filmes do gênero e da constante evolução do que é ser popular no contexto estudantil.

Advertisement
Na nova comédia romântica da Netflix "De volta ao baile", conhecemos Stephanie, uma jovem capitã das líderes de torcida que sofre um acidente em uma apresentação e fica em coma por 20 anos, perdendo consequentemente as últimas duas semanas de seu colegial e o tão sonhado título de rainha do baile da escola. Ao acordar, já adulta, estabelece uma forma bastante incomum de retornar à sua própria vida: corre atrás de poder viver as duas semanas no colégio e o baile que perdeu, no corpo de uma adulta em seus quase 40 anos de idade, mas com a mente adolescente. Podemos reconhecer vários elementos de outros enredos aqui, mas, apesar do roteiro clichê, o filme diverte com seus momentos hilários e o timing cômico já conhecido de Rebel Wilson, a atriz que interpreta a protagonista em sua idade adulta.
De Volta ao Baile | NETFLIX

O elenco juvenil de “De volta ao baile” está afiadíssimo, brilhando mesmo em papéis secundários, cada um deixando aquele gostinho de “queria acompanhar mais a vida desde personagem”. Atores como Joshua Colley( Yaz), Avantika Vandanapu(Janet Singh), Angorie Rice ( a jovem Stephanie) , Ana Yi Puig ( a jovem Tiff) e Jade Bender ( Bri Loves) com certeza terão protagonismos em novas produções, pela popularidade de “De volta ao baile”. Um ganho tanto para a plataforma quanto para os telespectadores.

Uma comédia divertidíssima que irá encantar tanto a nova geração quanto os amantes de clássicos da comédia romântica. Não pelo ineditismo das discussões ou pela ausência de clichês. Mas com conter tudo o que uma boa comédia romântica merece ter: bons personagens, protagonista cativante, trilha e cenas hilárias e uma lição a ensinar.

De volta ao baile” está disponível na Netflix.

Nota: 3,5/5
Assista ao trailer:
Leia também:

Crítica | A Médium – Terror tailandês aborda xamanismo, crenças e carma em um filme intenso e assustador.

Crítica | Pureza – Filme baseado em história real faz uma denuncia ao trabalho escravo no Brasil

Advertisement

About author
Jornalista, advogada, cantora de videokê, dançarina de Calypso e agora: crítica de streaming.
Articles
Relacionados:
NotíciasCinema

Creed 3 | Sylvester Stallone revela por que não participará do filme

1 Mins read
Em entrevista ao Metro UK, o astro Sylvester Stallone (Rocky, Rambo) revelou por que não estará em Creed III, mesmo após co-estrelar os dois primeiros filmes da trilogia juntamente com Michael B. Jordan (Pantera Negra, Quarteto Fantástico) e Tessa Thompson (Thor Ragnarok). Confira:
CríticasCinema

Crítica | Tudo em Todo o Lugar ao Mesmo Tempo - É assim que se faz um filme sobre multiverso!

3 Mins read
Tudo em Todo Lugar ao Mesmo Tempo é mais um filme da leva que promete explorar a teoria do multiverso de um ponto de vista comum mas com detalhes originais que transforma a obra em algo divertido e com uma mensagem a ser transmitida.
NotíciasCinema

Lightyear | Filme é vetado em países do Oriente Médio

1 Mins read
O novo filme da Pixar, Lightyear, nem estreou mas já está envolvido em diversas polêmicas. O longa foi banido de 3 países do Oriente Médio, sendo eles: Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos e Kuwait, por conta de uma cena em que há um beijo lésbico entre Alisha Hawthorne (Uzo Aduba) e sua parceira. Grupos religiosos dos paísees em questão protestaram contra o filme, alegando que o mesmo é um insulto aos muçulmanos e ao islã.
×
CríticasCinema

Crítica | A Médium - Terror tailandês aborda xamanismo, crenças e carma em um filme intenso e assustador.