fbpx
CríticasCinema

Crítica | Alice e Peter: Onde Nascem Os Sonhos

Clássicos infantis ganham nova releitura em Alice e Peter: Onde Nascem Os Sonhos, produção estrelada por Angelina Jolie.

As clássicas histórias infantis são facilmente transformadas em algo maior. A história, que por muitas vezes contém elementos de sucesso como aventura+criança+ seres mágicos pode ser desenvolvidas e exploradas de diversas formas diferentes, até se tornar algo lúdico e até mesmo uma história mais adulta e puxada para o terror, não é a primeira vez que vemos clássicos como Alice no País das Maravilhas e Peter Pan contadas por uma outra perspectiva, mas a nova produção estrelada por Angelina Jolie “Alice e Peter” traz algo especial.

 O longa conta a história de Alice (Keira Chansa), David (Reece Yates) e Peter (Jordan A. Nash), três crianças que são incentivadas pelos seus pais Rose ( Angelina Jolie) e Jack (David Oyelowo) a exercitarem a imaginação em suas brincadeiras no bosque perto de suas casas. Apesar de serem uma família aparentemente feliz, Jack esconde uma dívida, que acaba causando consequências tanto pra ele como pra sua família.

Alice e Peter: Onde Nascem Os Sonhos
Alice e Peter: Onde Nascem Os Sonhos | Reprodução da divulgação

Com os acontecimentos recentes e as crianças tendo que aprender a ter responsabilidade, a questão do amadurecimento e do envelhecimento acaba despertando várias dúvidas entre elas. Afinal, se você pudesse desejar ser criança para sempre, o faria?

A questão é presente tanto em Alice no País das Maravilhas quanto em Peter Pan, onde seus personagens principais se recusam a assumir responsabilidades da vida adulta, buscando ficar criança para sempre.

A junção dessas duas fábulas trouxe para a tela uma sensação nostálgica, somadas as críticas internas que aparecem toda vez que assistimos algo novo sobre uma história tão antiga e já contada várias vezes. Apesar da ideia ser incrível, ela acabou não sendo desenvolvida da maneira correta, fugindo da proposta inicial do longa e da roteirista Marissa Kate Goohill.  Apesar da história ser um pouco decepcionante e confusa, fica impossível não notar o elenco composto em sua maioria por negros, principalmente em papéis como Alice e Peter, coisa nunca vista antes.

Advertisement
Alice e Peter: Onde Nascem Os Sonhos
Alice e Peter: Onde Nascem Os Sonhos | Reprodução da divulgação

Algo que talvez choque o público é o tempo de tela da consagrada atriz Angelina Jolie, apesar de estampar a maioria dos pôsteres, sua personagem mal aparece. O que é difícil de se imaginar quando se trata de uma atriz de sucesso.

Alice e Peter : Onde Nascem os Sonhos é clássico, delicado, inclusivo e necessário. Apesar de não ser um filme completamente infantil, ele traz o drama familiar para um lado em que as crianças possam entender e queiram acompanhar.

Alice e Peter : Onde Nascem os Sonhos estreia dia 3 de Junho nos cinemas.

Nota: 3/5

Assista ao trailer:

About author
22 anos, jornalista, amante do cinema e de musicais.
Articles
    Relacionados:
    NotíciasCinema

    Alerta Vermelho | Filme ganha data de estreia nos cinemas brasileiros

    1 Mins read
    O longa, original Netflix, vai estrear em novembro deste ano.  O novo filme “Alerta Vermelho” vai chegar aos cinemas brasileiros dia 4…
    CríticasCinema

    Crítica | Ron Bugado - Uma mensagem necessária no momento certo

    4 Mins read
    Ron Bugado conta a história do jovem Barney, um menino de onze anos que tem dificuldade de fazer novos amigos, e seu companheiro Ron, uma inteligência artificial de alta tecnologia que anda, fala e é o “melhor amigo fora da caixa” de Barney. Mas quando Ron começa a ter seu funcionamento comprometido, os dois saem em uma aventura repleta de ação, onde a amizade entre os dois se mostra verdadeira.
    CríticasCinema

    Crítica | Duna - Um grande épico em um ano razoável

    4 Mins read
    Com a retomada dos cinemas em meio a uma pandemia global, estreias sem muito peso e outras decepcionantes, Duna se consagra como o grande épico de 2021, com grandes chances de deixar filmes com maior apelo popular para trás nas bilheterias.