CuriosidadesCinema

Grandes clássicos no catálogo da Netflix para essa quarentena

O mundo todo passa por um extenso período de quarentena e isolamento social, sem falar na ansiedade. Pensando nisso, confira essa lista com grandes clássicos escondidinhos dentro do catálogo da Netflix.

Tem para todos os gostos! Fiquem em casa!

O Poderoso Chefão (Trilogia- 1972/ 1974 e 1990)

Sinopse: “Em 1945, Don Corleone (Marlon Brando) é o chefe de uma mafiosa família italiana de Nova York. Ele costuma apadrinhar várias pessoas, realizando importantes favores para elas, em troca de favores futuros. Com a chegada das drogas, as famílias começam uma disputa pelo promissor mercado. Quando Corleone se recusa a facilitar a entrada dos narcóticos na cidade, não oferecendo ajuda política e policial, sua família começa a sofrer atentados para que mudem de posição. É nessa complicada época que Michael (Al Pacino), um herói de guerra nunca envolvido nos negócios da família, vê a necessidade de proteger o seu pai e tudo o que ele construiu ao longo dos anos.“.

A maior obra já feita sobre a máfia e o mundo do crime. A trilogia traz atuações inigualáveis, personagens memoráveis, fotografia belíssima e uma história universal, cujo apelo emociona a todos. Os filmes ultrapassam o universo da máfia e falam de temas envolvendo a própria natureza humana e como o tempo é inevitável.

Não é só uma saga sobre mafiosos, tiros e violência. É a ação do tempo sobre pessoas, nada mais do que isso. Pessoas como eu ou você. Todas atingidas pelas diversidades que a vida insiste em trazer. Somente o primeiro filme foi indicado a dez Oscars, vencendo nas categorias de Melhor FilmeMelhor Roteiro Adaptado (Coppola e Puzo) e Melhor Ator (Marlon Brando). Além disso, foi considerado pelo American Film Institute como o segundo melhor filme estadunidense, apenas perdendo para “Cidadão Kane” (1941).

Advertisement
clássico
Cena inicial do primeiro filme da trilogia. / Paramount Pictures.

O Enigma do Outro Mundo (1982)

Sinopse: “No verão de 1982, um time de doze pesquisadores trabalha numa remota estação na Antártica e descobre um ser alienígena submerso na neve há mais de 100.000 anos. Descongelada, a criatura mutante possui a habilidade de duplicar e se transformar em seu hospedeiro, matando-o em seguida e espalhando o terror. O problema é descobrir quem é ser humano e quem é o possível alienígena.“.

Um dos grandes filmes dos anos 80 e um dos melhores terrores já feitos. Com suspense na medida certa, tensão constante, um elenco afiado e cenas grotescas, o filme é um dos mais assustadores já feitos. A ideia de não saber quem é o inimigo funciona como uma das melhores coisas do filme e deixa o espectador aflito.

A câmera do mestre John Carpenter (“Halloween“) se move com maestria pelas quase duas horas de filme. Sem falar, ainda, na trilha sonora do mestre Ennio Morricone, cujos acordes combinam perfeitamente com o tom do filme. Curiosamente, o filme foi homenageado tanto na trama da terceira temporada de “Stranger Things” quanto em “Os Oito Odiados” (2015).

clássico
Pôster clássico do filme / Universal Pictures.

Sem Destino (1969)

Sinopse: “Wyatt (Peter Fonda) e Billy (Dennis Hopper) são motoqueiros que viajam pelo sul dos Estados Unidos. Após levarem drogas do México até Los Angeles, eles as negociam com um homem em um Rolls-Royce. Com o dinheiro a dupla parte rumo ao leste, na esperança de chegar a Nova Orleans a tempo para o Mardi Grass, um dos Carnavais mais famosos em todo o planeta.”.

O filme mais importante da chamada contracultura, movimento iniciado nos anos 60 em todo o mundo, pregando o amor livre, a transformação nos costumes e a emancipação sexual. É um golpe contra o conservadorismo presente na sociedade estadunidense daquela época e uma arma contra os preconceitos de um povo que ainda não entendia os efeitos de seu tempo na história mundial.

Advertisement

Um filme diferente de tudo que havia sido feito até então e um conto sobre uma geração que ainda não sabia seu papel na história. Além de ser um dos primeiros papéis de Jack Nicholson e responsável por catapultar o sucesso da música “Born To Be Wild“. Um verdadeiro canto pela liberdade e, ainda, cheio de metáforas políticas.

Cena clássica do filme que imortalizou seus dois protagonistas. “

Matar Ou Morrer (1952)

Sinopse: “Will Kane (Gary Cooper) é um xerife que fica sabendo na hora de seu casamento que ao meio-dia chegará um trem trazendo Frank Miller (Ian MacDonald), um criminoso que mandou para a cadeia e planeja se vingar. Apesar de Amy (Grace Kelly), sua noiva quaker, argumentar que devem ir embora, ele acha que fugirá para sempre se não enfrentar a situação. A população (com raras exceções) se refugia sem ajudá-lo, apesar dele pedir aos cidadãos para enfrentarem o pistoleiro e seus cúmplices.“.

O maior faroeste já feito nos EUA e uma das melhores histórias de suspense já criadas por um roteirista, abordando temas morais e dúvidas envolvendo o próprio ser humano, o filme ultrapassa seu gênero e fala muitos dos tempos atuais.

A precisão do roteiro, as jogadas de câmera, os diversos relógios espalhados pelo set e a incrível trilha sonora realçam a falta de tempo presente na história, deixando o espectador sem palavras. Contando, ainda, com uma atuação vencedora do Oscar do galã Gary Cooper e uma incrível Grace Kelly, o filme é um dos maiores clássicos do cinema e merece ser visto atentamente por todos.

clássico
Cena marcante do longa. / United Artists

Ela Quer Tudo (1986)

Sinopse: “Nola Darling é uma jovem negra que vive em Nova York e se preocupa com o fato de seu apetite sexual a tenha tornado esquisitona e manipula com destreza seus relacionamentos com três homens diferentes, nenhum dos quais pode satisfazê-la inteiramente.“.

Advertisement

Um dos filmes mais intimistas e leves de Spike Lee. Abordando os medos da juventude e as dúvidas em relacionamentos, o diretor constrói um longa fluído como o jazz de sua trilha sonora. É gostoso de assistir e pode gerar bons momentos de reflexão, além de emocionar qualquer um que já tenha passado por momentos de extrema dúvida.

A fotografia em preto e branco é apenas um dos pontos altos, contribuindo para um visual lindo. Cada cena parece ser pensada esteticamente nos mínimos detalhes e a trama avança com calma, quase que por meio de acordes musicais. Os closes nas faces dos personagens apenas realçam todos os questionamentos que passam por suas cabeças. É um filme humano, acima de tudo.

clássico
Cena do filme, um dos primeiros de Lee / Island Pictures.

Ponto Final- Match Point (2006)

Sinopse: “Chris Wilton (Jonathan Rhys-Meyers) é um jogador de tênis profissional que, cansado da rotina de viagens, decide abandonar o circuito e se dedicar a dar aulas do esporte em um clube de elite. É lá que conhece Tom Hewett (Matthew Goode), filho de família rica que logo se torna seu amigo devido a alguns interesses em comum. Convidado para ir à ópera, Chris lá conhece Chloe (Emily Mortimer), irmã de Tom. Logo os dois iniciam um relacionamento, para a alegria dos pais dela. Só que Chris fica abalado quando conhece Nola Rice (Scarlett Johansson), a bela namorada de Tom que não é bem aceita pela mãe dele.“.

Apesar de ser um dos filmes mais recentes de Woody Allen, é um dos seus melhores e um clássico instantâneo. É sexy e tenso na medida certa, com dilemas e personagens apaixonantes. As reviravoltas, relações e conflitos movem um dos filmes mais impactantes da carreira do cineasta.

Sob grandes influências do romancista russo, Fiódor Dostoiévski, “Match Point” prende o espectador do início ao fim e tem um tom totalmente sintonizado com seus dois protagonistas, cuja química em cena é algo incrível. O filme foi indicado ao Oscar de Melhor Roteiro Adaptado e segundo o próprio Allen, é o melhor longa de sua filmografia toda.

Advertisement
Os dois protagonistas do longa. / DreamWorks Pictures

Tubarão (1979)

Sinopse: “Um terrível ataque a banhistas é o sinal de que a praia da pequena cidade de Amity, virou refeitório de um gigantesco tubarão branco, que começa a se alimentar dos turistas. Embora o prefeito queira esconder os fatos da mídia, o xerife local pede ajuda a um ictiologista e a um pescador veterano para caçar o animal, mas a missão vai ser mais complicada do que eles imaginavam.“.

Apenas o filme que após Star Wars, construiu o caminho para os blokbusters e sucessos de bilheteria diversos que viriam depois. A História é clássica, todos já ouviram falar, mas ver pela primeira vez ainda é tão tenso quanto era no final dos anos 70. O cinema dos anos 80 foi todo baseado nesse filme, cujo terror é construído brilhantemente por um monstro que parece estar sempre à espreita, mas que quase nunca aparece.

clássico
Pôster icônico do filme. / Universal Pictures

Scarface (1983)

Sinopse: “Década de 80. Centenas de imigrantes cubanos aportam na costa da Flórida, durante uma breve abertura da ilha por Fidel Castro, em uma manobra para se livrar do excesso de presos nas cadeias cubanas. Em meio à massa de miseráveis, chega Tony Montana, bandido de pouco nome e muita bravata, disposto a conquistar o mundo do tráfico.”.

Uma das melhores atuações de Al Pacino (“Um Dia de Cão“), interpretando Tony Montana, um descontrolado traficante de drogas. A ascensão e queda desse personagem são incríveis de assistir. Com uma fotografia memorável e uma força dramática única, o filme é um dos grandes clássicos sobre crime, traição e ganância. Influenciando até jogos de videogame como “Grand Theft Auto: Vice City“.

clássico
Pacino em cena do filme. “Universal Pictures“.

Jurassic Park: O Parque dos Dinossauros

Sinopse: O Dr. John Hammond (Richard Attenborough) possui uma equipe de cientistas para descobrir um método cientifico de regenerar dinossauros através do DNA que eles encontram em âmbares preservados. Com isso ele cria um parque temático chamado Jurassic Park, onde todos são bem vindos para ver o passado retornar a vida. Dr. Hammond convida seus netos, Dr. Alan Grant (Sam Neil), Dra. Ellie Sattler (Laura Dern) e Ian Malcolm (Jeff Goldblum) para serem os primeiros à testemunhar a sua criação. As coisas começam a ir mal e as ferozes bestas ficam livres.“.

Advertisement

Lembro até hoje como foi ver os portões de Jurassic Park abrindo pela primeira vez, ao som da incrível trilha sonora do mestre John Williams: foi algo inimaginável. Ainda hoje, o filme emociona e nunca foi superado por nenhuma continuação ou remake. As emoções deste filme ficam com você: é uma aventura do melhor tipo.

Cena tensa do longa. “Universal Studios“.

Confira também: 5 filmes de terror da NETFLIX para ver na quarentena

About author
Estudante, fã de faroestes e musicais, aficionado por "Família Soprano" e 007, entre outras coisas boas da vida.
Articles
    Relacionados:
    NotíciasCinema

    Luca | Nova animação da Pixar ambientada na Itália tem sinopse divulgada

    1 Mins read
    A Pixar Animation Studios anunciou que o seu próximo lançamento nos cinemas será a animação LUCA.  Ambientado em uma bela cidade costeira…
    NotíciasCinema

    Paramount atualiza o calendário de estreias de suas produções no Brasil

    1 Mins read
    Devido à pandemia do coronavírus, muitas produções tiveram que adiar suas datas de estreia pelos cinemas de todo o mundo. Assim, as…
    NotíciasCinema

    Elon Musk chama Johnny Depp pra porrada: "se quiser uma luta em uma gaiola é só me avisar"

    1 Mins read
    Recentemente, dentro do complicado caso judicial entre Johnny Depp e a atriz Amber Heard, a defesa do ator alegou que a mesma…